Share |

Atraso na construção de residência de estudantes no Instituto Politécnico de Bragança

Com o aumento do número de alunos no Instituto Politécnico de Bragança, agravou-se o problema do alojamento de estudantes.

O assunto é do conhecimento público e tem motivado notícias como «Faltam casas para estudantes em Vila Real e Bragança. Pede-se intervenção das autarquias» (TSF, 17 Setembro, 2018), onde se retrata o aumento do preço dos quartos que resulta da falta de alojamento para estudantes.

No passado mês de outubro, o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Manuel Heitor prometeu que antes do final do ano de 2019 estariam em marcha as obras para a criação de uma residência para estudantes do Instituto Politécnico de Bragança (IPB). Prevendo, numa primeira fase, 80 camas. E com um horizonte de 300 novas camas. No entanto, até ao momento ainda não começaram as obras.

Orlando Rodrigues, presidente do IPB, explicou ao jornal Nordeste (4 de fevereiro de 2020) que o instituto fez o que estava ao seu alcance, para identificar os edifícios a reabilitar, mas que não tem conhecimento de quando irão começar as obras. Estando previsto recuperar edifícios em Bragança, Macedo de Cavaleiros, Mirandela e Chaves - cidades onde o instituto politécnico tem oferta formativa.

Pelo que o Grupo Parlamentar teve conhecimento através da comunicação social, os locais com possibilidade de reabilitação são quatro vivendas da Direcção Regional de Agricultura, a antiga residência da Estacada e a nunca acabada escola de hotelaria, situada perto NERBA - Associação Empresarial do Distrito de Bragança. Por sua vez, em Macedo de Cavaleiros será reabilitada uma antiga residência para estudantes e Mirandela e Chaves em edifícios desocupados do Ministério da Agricultura.

Atendendo ao exposto, e ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda vem por este meio dirigir ao Governo, através do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, as seguintes perguntas:
   
1. Confirma o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior o plano de reabilitação de todos os referidos edifícios para atender ao problema da falta de habitação para os estudantes do IPB? E qual o enquadramento dos vários projetos?
   
2. Qual o ponto de situação dos projetos de reabilitação e aumento da oferta de alojamento para estudantes?
   
3. Para quando prevê o Ministério que comecem os trabalhos de construção da residência na inacabada escola de hotelaria de Bragança?
   
4. Quando prevê o Ministério que os edifícios estarão prontos para habitar?
 

AnexoTamanho
pergunta_atraso_na_construcao_de_residencia_de_estudantes_no_instituto_politecnico_de_braganca.pdf133.88 KB