Share |

Audição das estruturas representativas dos trabalhadores, do Conselho de Administração do Centro Hospitalar e Universitário do Algarve e da Ministra da Saúde sobre a situação atual do CHUA

A criação do Centro Hospitalar do Algarve, através da agregação dos Hospitais de Faro, Portimão e Lagos, pelo governo PSD/CDS, contribuiu para a degradação acelerada do SNS na região, particularmente a nível hospitalar.

Com a transformação do CHA em Centro Hospital Universitário do Algarve/CHUA, pelo governo anterior, continuam a persistir diversos problemas nos dias de hoje nas várias unidades hospitalares públicas na região.

Recentemente, cerca de duas dezenas e meia de diretores do Centro Hospitalar Universitário do Algarve escreveram uma carta ao Presidente da ARS/Algarve, com conhecimento à ministra da Saúde, onde reclamam a nomeação rápida de um novo órgão de gestão que consiga mobilizar os profissionais, os quais se encontram desmobilizados devido ao estado em que se encontra o SNS na região. Como se sabe, o atual Conselho de Administração do CHUA, ainda em funções, terminou o seu mandado no final de 2019.

Na referida carta/denúncia, os médicos defendem a tomada de medidas efetivas, alertando que o CHUA vive uma situação grave que é preciso alterar, que entre os hospitais de nível equivalente, está entre os que apresentam os piores indicadores clínicos e financeiros.

Assim, ao abrigo das disposições regimentais e constitucionais, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda requer a audição do Sindicato de Médicos da Zona Sul e da Federação Nacional de Médicos, do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, do Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores de Saúde das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica e do Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais, bem como do Conselho de Administração do Centro Hospitalar e Universitário e do Algarve e da Ministra da Saúde, sobre a situação do SNS e, em particular, do Centro Hospitalar e Universitário do Algarve.