Share |

Bloco chama Ministro da Educação ao Parlamento

O Bloco de Esquerda entregou um pedido de audição com caráter obrigatório do ministro da Educação no Parlamento. O "caos" e a "insegurança" na preparação do próximo ano letivo são os motivos que os bloquistas alegam para Nuno Crato vir dar esclarecimentos aos deputados.
Foto de "Protesto de Professores Contratados e Desempregados".
Foto de "Protesto de Professores Contratados e Desempregados".

“Não podemos terminar o mês de julho, quando as escolas preparam o próximo ano letivo, sem saber de forma absolutamente clara quantos professores vão estar nas escolas no próximo ano e como é que se vão organizar horários, disciplinas, carreiras, programas. Tudo isto tem de ser esclarecido pelo senhor ministro”, afirmou a deputada Ana Drago, em declarações aos jornalistas no Parlamento.

A juntar à "enorme confusão" criada pela criação dos mega-agrupamentos e a reforma curricular, a deputada bloquista sublinha que os cortes orçamentais na Educação irão levar ao "maior despedimento de professores alguma vez feito”, calculado em 25 mil professores contratados que deixarão de poder ensinar já em setembro, engrossando assim os números do desemprego em Portugal.

"Não se pode viver este caos, este pânico, esta insegurança que é hoje vivida ao nível das escolas”, sublinhou Ana Drago na conferência de imprensa realizada esta quarta-feira, antes do debate do Estado da Nação.

No requerimento entregue na Assembleia da República para a audição obrigatória do ministro, Ana Drago justifica a necessidade de esclarecimentos com "o risco do aumento massivo de desemprego no sector, o risco iminente de descaracterização do sistema educativo no nosso país e o retrocesso prático no debate sobre o ensino e a aprendizagem na escola".

Notícia publicada no portal www.esquerda.net.

AnexoTamanho
potestativo_10julho2012.pdf107.21 KB