Share |

Centro Hospitalar do Alto Ave está a funcionar sem Conselho de Administração e com longas esperas nas urgências

O Bloco de Esquerda tem conhecimento de que o Centro Hospitalar do Alto Ave (CHAA) está a registar longos períodos de espera para atendimento das/os utentes no serviço de urgência. A título de exemplo, refira-se o caso de um utente que deu entrada no serviço de urgência às 6h30 da manhã, altura em que apenas uma pessoa aguardava na sala de espera. Este utente permaneceu nas instalações, sem ser atendido, até às 14h00, hora em que desistiu do atendimento neste serviço público. Não obstante ter esperado mais de sete horas por uma consulta sem ter tido acesso a ela, este utente teve que pagar a taxa moderadora de 8,60 euros e o parque de estacionamento no valor de 6,20 euros. O utente já reclamou junto do CHAA solicitando a devolução do valor pago, mas a resposta obtida foi omissa quanto a este desiderato.

Esta situação espelha a desagregação de serviços que se está a verificar no CHAA, que labora com carência de profissionais, sem direção clínica e apenas com dois membros do Conselho de Administração desde há meses.

O CHAA presta um serviço fundamental a uma vasta população e o desnorte em que se encontra parece estar a fragilizar inexoravelmente a sua principal missão que deverá ser a prestação de cuidados de saúde de qualidade e em tempo útil às/aos utentes.

O Bloco de Esquerda reitera a premência de que seja nomeada uma nova administração para o CHAA, bem como que os serviços sejam dotados de meios para um eficaz funcionamento, o que não parece estar a suceder, quando se verificam períodos de espera de mais de sete horas nas urgências. Por outro lado, parece-nos inaceitável que se cobre taxa moderadora a utentes que não são atendidas/os após períodos de espera que ultrapassam todos os limites do bom senso.

Atendendo ao exposto, e ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda vem por este meio dirigir ao Governo, através do Ministério da Saúde, as seguintes perguntas:

1. Tem o Governo conhecimento da situação em que se encontra o CHAA?

2. Quando vai o Governo nomear uma nova administração para o CNAA?

3. Quando vai ser devolvido o valor das taxas moderadoras e parque de estacionamento às/aos utentes que não são atendidas/os?

AnexoTamanho
Pergunta ao Governo: Centro Hospitalar do Alto Ave está a funcionar sem Conselho de Administração e com longas esperas nas urgências.pdf264.26 KB