Author Bios

Perguntas ao governo

  • No âmbito do processo de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD), a sua administração elaborou um plano de reestruturação onde constava, entre outras questões, o encerramento de balcões de retalho. De acordo com o referido plano, dos 651 balcões existentes em 2016 espera-se reduzir este número para menos de 550 balcões em 2018 e menos de 480 em 2019. A verificar-se, tal significa o fecho de 171 balcões durante o triénio 2016-2019.

    Recentemente, a comunicação social noticiou a intenção da CGD de encerrar mais 75 balcões em vários pontos do país. Entre eles, destaca-se o encerramento da agência CGD de Aver-o-Mar, no concelho da Póvoa de Varzim, a qual serve cerca de 20 mil habitantes, não apenas da união de freguesias de Aver-o-Mar, Amorim e Terroso, mas também as freguesias adjacentes a norte, sul e interior do concelho.

  • Recentemente, a comunicação social noticiou a intenção da CGD de encerrar mais 70 balcões em vários pontos do país. Entre eles, destaca-se o encerramento da agência CGD em Rio Meão, no concelho de Santa Maria da Feira, a qual serve a população da freguesia e a forte atividade empresarial presente na localidade. A confirmar-se o encerramento, a população e empresas da freguesia deixarão de contar com a única agência bancária presente nas imediações, o que terá efeitos nefastos para o desenvolvimento económico e social da região.

    O anunciado encerramento constitui assim mais uma degradação do serviço público e um ataque à população e economia local de Santa Maria da Feira.

  • A Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) publicou o mapade vagas disponíveis para os médicos/as recém-formados efetuarem a formação especializada. Constata-se que não há vagas para formar pneumologistas no Centro Hospitalar Lisboa Norte. Esta é situação é sui generis que carece de esclarecimentos adicionais. Não é fácil compreender que num centro Hospitalar de tão grande dimensão e tão especializado, o serviço de pneumologia não tenha capacidade de formar novos especialistas em 2018, quando no ano transato era o maior centro formativo do país para esta especialidade. Tendo em conta a legislação em vigor, é à Ordem dos Médicos que incumbe a identificação dos serviços que possuem idoneidade formativa e que, como tal, estão habilitados para formar novos médicos especializados.