Author Bios

Perguntas ao governo

  • Em maio deste ano foi publicado o Despacho n.º 4590-A/2018, no qual é previsto o pagamento de um suplemento remuneratório aos enfermeiros especialistas, com efeitos a janeiro deste ano. O Bloco de Esquerda teve conhecimentos da existência de enfermeiros especialistas no Centro Hospitalar Universitário do Algarve, que não estão a receber o suplemento a que têm direito.

    O pagamento de um suplemento a enfermeiros especialistas foi instituído como forma de valorizar os profissionais que investiram na sua formação e, dessa forma, adquiriram outras competências técnicas e científicas.

    Acontece que, no CHUA, há enfermeiros especialistas a desempenhar funções na sua área de especialização a quem não foi atribuído o respetivo suplemento. Estão em causa 140 Enfermeiros Especialistas a exercer funções de especialista em 2018.

  • O Bloco de Esquerda teve conhecimento de que a Extensão de Saúde de Veiros, no concelho de Estarreja, se encontra encerrada há cerca de duas semanas, sem que seja conhecido um prazo para a sua reabertura.

    Pelo que se sabe, o encerramento é devido à falta de pessoal no Centro de Saúde de Estarreja. Depois do despedimento de uma funcionária administrativa e a baixa de uma outra o Centro de Saúde ficou com falta de pessoal, tendo sido essa falta colmatada com a recolocação da funcionária da Extensão de Saúde de Veiros. Uma vez que sem a funcionária o médico não podia trabalhar, retiraram também o médico da extensão, o que terá resultado no seu encerramento.  

  • O Bloco de Esquerda teve informações sobre a situação de uma utente, que depois de ter sido diagnosticada com uma otite crónica, a primeira consulta de especialidade hospitalar e o respetivo exame, foram agendados para julho de 2019, indo claramente contra aquilo que devem ser os TMRG, excedendo o tempo máximo permitido em 4 meses. Esta situação acontece no Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, hospital cuja gestão foi entregue a um privado, em regime de PPP.