Share |

Despedimento coletivo de 42 trabalhadores da Corticeira Piedade

Chegaram ao conhecimento do Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda informações referentes a um despedimento coletivo de 42 trabalhadores e ao encerramento total da produção de rolhas de cortiça na fábrica da empresa do grupo Piedade, que pertence ao grupo francês Oeneo, com sede em Fiães, no concelho de Santa Maria da Feira

Segundo as informações disponíveis o despedimento coletivo abrange todos os operários afetos à produção e, deverá concretizar-se até ao prazo máximo de 6 de agosto, altura em que será encerrado o fabrico de rolhas.

Ora, a confirmar-se esta notícia, a empresa ficaria com apenas cinco funcionários que, alegadamente, se dedicariam, em exclusivo "à gestão de stocks e venda de ativos" dessa e de outras unidades do Grupo Piedade. Esta situação é deveres preocupante e tem deixado alarmados os trabalhadores que temem a perda dos seus postos de Trabalho e representa um forte flagelo social na região.

Atendendo ao exposto, e ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda vem por este meio dirigir ao Governo, através do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, as seguintes perguntas:

1. O Governo tem conhecimento desta situação?

2. Que medidas está a tutela disposta a promover, nomeadamente por via negocial com as partes envolvidas, com vista a evitar um despedimento coletivo promovido pela Grupo Piedade com todos os impactos sociais daí decorrentes?

AnexoTamanho
Pergunta: Despedimento coletivo de 42 trabalhadores da Corticeira Piedade109.13 KB