Share |

Encerramento do posto de CTT de Ferragudo

Com o encerramento anunciado há anos, o posto de correios de Ferragudo parece ter, hoje, os seus dias contados, uma vez que o grupo CTT se mantém intransigente face aos apelos em sentido contrário promovidos, nomeadamente pela Junta de Freguesia. Sublinhe-se, aliás, que em comunicado, a Junta de Freguesia denuncia a “análise fria, seguida sem ter em conta a importância que os equipamentos têm para as populações”.

Esta medida encerra mais um inaceitável ataque aos equipamentos e bens públicos, destinados a servir as populações e, neste particular, é inaceitável que a população de Ferragudo se veja sem os seus Correios. Equipamentos de proximidade, onde as pessoas levantam as suas pensões e prestações sociais, elementos determinantes na coesão territorial, os postos dos CTT têm sido alvo de um ataque em nome da lógica economicista que decorre da sua privatização.

Nesse sentido, o Bloco de Esquerda opôs-se desde a primeira hora à privatização dos CTT e apresentou, na Assembleia da República, diversas iniciativas legislativas. Uma e outra vez estes Projetos de Resolução foram chumbados por PS, PSD e CDS.

Atendendo ao exposto, e ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda vem por este meio dirigir ao Governo, através do Ministério da Economia e Emprego as seguintes perguntas:

1. Confirma o Governo o encerramento do posto dos CTT em Ferragudo?

2. A confirmar-se esta possibilidade, em que critérios se fundamenta a decisão, uma vez que o número de utilizadores parece não ser o fator que sustentaria o encerramento?

AnexoTamanho
Pergunta ao Governo: Encerramento do posto de CTT de Ferragudo.pdf299.38 KB