Share |

Falta de médicos no Serviço de Urgência Básica (SUB) de Loulé, no Algarve

O concelho de Loulé é o maior e o mais populoso do Algarve, com mais de 70 mil habitantes, número que triplica na época alta. No que diz respeito a cuidados de saúde esta população é servida por um serviço básico de urgência (SUB), a funcionar no Centro de Saúde de Loulé.

Este SUB tem vindo a deparar-se com constantes dificuldades para o desempenho das suas funções, designadamente no que concerne à falta de médicos. Por este motivo, o SUB de Loulé esteve a funcionar sem médicos nos dias 1 e 2 de maio. Em alternativa, a população teve que se deslocar ao Hospital de Faro: “Não há médicos de serviço, é favor dirigir-se ao Centro Hospitalar de Faro” era a mensagem afixada na porta do SUB.

Esta situação causa evidentes dificuldades à população que se vê impedida de aceder aos cuidados de saúde de que necessita e aos quais tem direito na sua zona de residência. Refira-se que a deslocação até Faro é não só onerosa como impossível para muitas pessoas, seja por falta de transporte público compatível, por dificuldades de locomoção ou por questões económicas. Por outro lado, o não funcionamento do SUB origina também uma sobrecarga no serviço de urgência hospitalar de Faro, como se verificou nestes dias, altura em que o tempo de espera para triagem chegou a ser de uma hora!

O Bloco de Esquerda considera fundamental que esta situação seja resolvida de um modo efetivo, garantindo a escala permanente de médicos para o SUB de Loulé.

Atendendo ao exposto, e ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda vem por este meio dirigir ao Governo, através do Ministério da Saúde, as seguintes perguntas:

1. O Governo tem conhecimento da situação exposta?

2. Por que motivo não houve médicos a exercerem funções no SUB de Loulé nos dias 1 e 2 de maio?

3. Que medidas estão a ser tomadas para resolver a situação de falta de médicos no SUB de Loulé?

4. Quantos médicos são necessários para assegurar o normal funcionamento do SUB de Loulé?

5. Tendo em conta os serviços do SUB de Loulé, qual deveria ser o quadro de pessoal desta unidade de saúde (médicos, enfermeiros, assistentes operacionais, etc)?

6. Ao longo do ano de 2013 e nos meses até agora decorridos de 2014, quantas vezes esteve o SUB de Loulé sem médico ou com menos médicos do que o previsto?

AnexoTamanho
Pergunta: Falta de médicos no Serviço de Urgência Básica (SUB) de Loulé, no Algarve309.22 KB