Share |

Hospital do Espírito Santo, E.P.E., Évora

O Hospital do Espírito Santo serve diretamente o distrito de Évora, mas, devido à sua diferenciação, tem uma influência direta e indireta em todo o Alentejo. A sua importância é enorme ao permitir que muitos cuidados de saúde possam ser prestados em maior proximidade com as populações, não obrigando a deslocações demoradas e dispendiosas (a Lisboa, por exemplo), o que poderia condicionar o acesso efetivo ao Serviço Nacional de Saúde.

O Bloco de Esquerda reuniu recentemente com a administração deste hospital para debater preocupações que se prendiam com o funcionamento dos serviços de neonatologia, único no Alentejo, e de urgência pediátrica. Na mesma reunião foram abordados os constrangimentos, dificuldades e necessidades atuais do Hospital, profissionais e utentes.

O Bloco de Esquerda confirmou algumas das suas preocupações quanto à constituição de escalas para assegurar os serviços de neonatologia e de urgência pediátrica, que vem apresentando dificuldades em virtude  de uma grande parte dos pediatras do hospital terem já atingido  a idade a partir da qual estão dispensados de fazer urgências, ser  difícil captar e fixar médicos especialistas mais jovens, o que leva a que a realização de escalas que garantam o serviço 24 horas por dia só tem sido possível através do recurso a empresas prestadoras de serviços e da colocação de médicos temporários.

Tendo-nos sido garantido que não há qualquer intenção (bem pelo contrário) de reduzir ou encerrar serviços prestados pelo Hospital de Évora, nomeadamente na área da neonatologia e da urgência pediátrica, acreditamos que é então imperativo encontrar soluções para que o recurso a empresas prestadoras de serviços não se torne uma regra. Como se sabe, o recurso a estes serviços tem impactos negativos nas equipas, nos serviços e na capacidade de resposta aos utentes.

Tendo em conta o exposto, é necessário que o Governo, em conjunto com a administração do Hospital de Évora, encontre soluções para garantir as escalas permanentes. A rápida e urgente reposição do valor por hora de trabalho extraordinário pode ser um incentivo, mas é necessário encontrar outras soluções nomeadamente para a contratação e fixação de médicos pediatras mais jovens.

Sendo, embora, uma prioridade indiscutível a construção do novo Hospital que virá assegurar a manutenção de serviços de qualidade não apenas à população de Évora mas de todo o Alentejo, no decurso da reunião foram ainda abordados alguns constrangimentos com que o Hospital do Espírito Santo se confontra e a consequente necessidade de efetuar, no entretanto, alguns investimentos no sentido de aumentar a sua capacidade de resposta no imediato, permitindo dessa forma rentabilizar até os recursos existentes e  melhorar a prestação de cuidados de saúde à população.

 Hospital do Espírito Santo necessita, por exemplo, de pelo menos mais duas salas para a realização de cirurgia, uma vez que as salas existentes estão já totalmente ocupadas, uma vez que é possível aumentar a capacidade cirúrgica do hospital se se criarem mais salas de bloco operatório. Este investimento permitiria ter uma resposta mais atempada e reduzir o tempo e a lista de espera para cirurgia, pelo que os utentes e o Serviço Nacional de Saúde ficariam a ganhar.

Trata-se de investimentos que não podem ficar hipotecados pela planeada construção de um novo hospital, que são necessários no imediato e que, designadamente no tocante a equipamentos a adquirir, mais não seriam que uma medida antecipatória, já que seriam utilizáveis no novo hospital.

 Atendendo ao exposto, e ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda vem por este meio dirigir ao Governo, através do Ministério da Saúde, as seguintes questões:

1. Que medidas serão tomadas para facilitar a contratação e fixação de médicos mais novos, em particular pediatras, no Hospital de Évora?

2. O Governo está disponível a avançar com investimento no hospital de Évora, concretamente na criação de mais salas de operação, de forma a aumentar a capacidade de resposta desta unidade?

3. Quando será realizado esse investimento?

AnexoTamanho
Pergunta: Hospital do Espírito Santo, E.P.E., Évora596.83 KB