Share |

PCP recusa condenar massacre na Síria e compara Bloco a Trump

Nos últimos dias, uma série de ataques perpetrada pelas forças militares leais a Bashar al-Assad tem devastado o enclave rebelde de Ghouta Oriental, localizado nos arredores de Damasco. Em apenas 2 dias, foram contabilizados 66 bombardeamentos com mísseis e outros projéteis, que incluem bombas de barril compostas por explosivos e pregos, e 466 ataques de rockets que atingiram inclusivamente vários hospitais e maternidades daquela região. Segundo as estatísticas mais recentes do Observatório Sírio dos Direitos Humanos, desde o passado domingo morreram 296 civis, dos quais 71 eram crianças, causando ainda um total de 1400 feridos.

Este massacre hediondo, de contornos impressionantes e por vezes indescritíveis, vem no seguimento da chacina que o povo sírio enfrenta nos últimos anos, fruto de interesses nacionais e internacionais. Além disso, estes ataques recentes, que por não diferenciarem civis e combatentes consistem em crimes contra a humanidade, poderão ser sucedidos por uma ofensiva terrestre das forças militares do regime sírio no Ghouta Oriental.

Por fim, os dados que são disponibilizados e atualizados a cada hora só evidenciam o aumento da violência e crueldade sobre milhares de seres-humanos, pelo que esta situação deve merecer uma condenação desta Assembleia e levar a um apelo ao fim imediato de ataques contra civis na Síria.

Assim, a Assembleia da República, reunida em sessão plenária, condena os bombardeamentos indiscriminados na região de Ghouta e repudia a persistente violação dos direitos humanos e os crimes contra a humanidade sobre a população síria.

AnexoTamanho
Voto de condenação:Bombardeamentos e os crimes contra a humanidade sobre as populações da região de Ghouta, na Síria50.7 KB