Share |

Peças furtadas de um carro de combate no Campo Militar de Santa Margarida

Veio recentemente a público que a GNR recuperou 5 toneladas de peças furtadas de um carro de combate M47 do Campo Militar de Santa Margarida. As referidas peças teriam sido descobertas numa sucata localizada na Chamusca no passado mês de abril, cerca de dois meses depois do desaparecimento de armamento militar dos paióis de Tancos.

O material terá sido roubado das instalações militares de Santa Margarida num veículo automóvel e em várias vezes, tendo em conta o elevado peso das peças. Pelo que se apurou, os carros de combate encontram-se estacionados ao ar livre em Santa Margarida. São carros de combate usados para fazer treino de tiro e onde se encontram não haverá muros a delimitar a zona, apenas placas com a indicação de “zona militar”. Quando pretendem fazer treino de tiro, os militares colocam camiões no perímetro, garantindo assim que ninguém cruzará o terreno nesses períodos. Será impossível, ou muito difícil alguém entrar nas instalações militares sem ser detetado.

As referidas peças estariam na posse de um sucateiro que as terá adquirido por 800 euros, desconhecendo este quem seriam os vendedores das peças. A suspeita recai sobre um grupo de indivíduos já referenciados pelas autoridades por furto de metais não preciosos. Parece que a investigação sobre este caso se encontra parada por parte das autoridades militares.

Devido ao roubo do armamento militar de Tancos, o Ministro da Defesa anunciou um reforço das medidas de segurança do Campo Militar de Santa Margarida para onde será transferido o material agora armazenado em Tancos. Estas instalações irão ser encerradas devido a dificuldades logísticas de modo a garantir a segurança dos equipamentos.

Atendendo ao exposto, e ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda vem por este meio dirigir ao Governo, através do Ministério da Defesa Nacional, as seguintes perguntas:

1. Confirma o Governo toda a situação acima descrita?

2. Considera o Governo que há ligações entre os furtos de Santa Margarida e o desaparecimento do armamento militar dos Paióis Nacionais de Tancos?

3. Encontram-se os carros de combate estacionados no Campo Militar de Santa Margarida ao ar livre, sem muros a delimitar a zona e sem qualquer tipo de vigilância? Se existe, qual o tipo de vigilância utilizada?

4. Podem pessoas exteriores aos serviços entrar no Campo Militar de Santa Margarida sem ser detetadas? Como foi possível furtar peças de várias toneladas de um carro de combate estacionado no Campo Militar de Santa Margarida?

5. Face aos furtos referenciados, como considera o Governo proceder para garantir que as instalações militares de Santa Margarida oferecem todas as condições de segurança, considerando ainda que está prevista a transferência para este campo militar do material de guerra armazenado em Tancos?

AnexoTamanho
Pergunta: Peças furtadas de um carro de combate no Campo Militar de Santa Margarida522.17 KB