O Bloco de Esquerda considera que o Governo deve esclarecer se a sua intenção é mesmo restringir o regime excecional de comparticipação às fórmulas com aminoácidos livres, excluindo as extensamente hidrolisadas e, consequentemente, excluindo a maior parte dos casos com APLV e suas famílias.
O Bloco de Esquerda considera que este entendimento deve ser revisto, de forma a que a comparticipação se alargue e abranja mais casos de alergia.  

O Bloco de Esquerda sabe que têm sido feitos vários pedidos para acesso precoce a estes medicamentos, uma vez que os mesmos ainda não têm autorização de introdução em Portugal por parte do Infarmed. No entanto, a esmagadora maioria dos pedidos de acesso não têm sido autorizados, encontrando-se pendentes.