O edifício do Centro Distrital de Segurança Social de Setúbal tem amianto desde a sua construção. Alguns antigos trabalhadores deste centro padecem ou padeceram de doenças que podem ter origem na exposição ao amianto do edifício. O Estado, enquanto responsável pelo edifício e pela sua relação com os trabalhadores, tem dever de acompanhar e zelar pela saúde destas pessoas.

No que diz respeito a cuidados de saúde de proximidade, a população de Alcântara, em Lisboa, é servida pelo Centro de Saúde de Alcântara, que integra a Unidade de Saúde Familiar (USF) Descobertas e a Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) Alcântara. Esta unidade de saúde depara-se com uma grande falta de profissionais: serão cerca de 4000 os utentes sem médico de família e, desde o início do ano cerca de 3600 utentes da Ajuda que não tinham médico de família receberam indicação para serem encaminhados para a UCSP de Alcântara, onde também não têm médico. 

O Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST) é um Instituto Público “integrado na administração direta do Estado, dotado de autonomia técnica, administrativa, financeira e património próprio” que tem por missão “garantir e regular, a nível nacional, a actividade da medicina transfusional e de transplantação e garantir a dádiva, colheita, análise, processamento, preservação, armazenamento e distribuição de sangue humano, de componentes sanguíneos, de órgãos, tecidos e células de origem humana” (Decreto-Lei n.º 39/2012 de 16 de fevereiro). 

A Autoridade de Segurança Rodoviária divulgou que no período de janeiro a julho de 2015, se registaram cerca de mil acidentes envolvendo ciclistas, que originaram sete mortos, 69 feridos graves e cerca de mil feridos ligeiros.

O serviço de refeição escolar, na região centro, está concessionado à multinacional Eurest, na sequência de um concurso realizado no âmbito geográfico das escolas da anterior DREC, concurso esse que aquela empresa venceu. As regras da concessão estão definidas no caderno de encargos, mas não têm sido cumpridas.

O serviço de refeição escolar, na região centro, está concessionado à multinacional Eurest, na sequência de um concurso realizado no âmbito geográfico das escolas da anterior DREC, concurso esse que aquela empresa venceu. As regras da concessão estão definidas no caderno de encargos, mas não têm sido cumpridas.

De acordo com o  relatório, o acesso à realização de um exame PET em Portugal Continental é bastante desigual. De facto, este relatório permite constatar que a desigualdade no acesso penaliza particularmente a população residente nos distritos de Faro e de Bragança bem como uma larga maioria das pessoas residentes em Beja, Portalegre, Castelo Branco e Guarda que têm que viajar mais de 90 minutos para fazer um exame PET.

A Estação de Tratamentos de Águas Residuais (ETAR) de Bragança tem libertado maus cheiros. As queixas dos moradores são recorrentes já que a situação é gravosa e se repete.

Nos últimos 4 anos a degradação do serviço de transportes públicos de Lisboa foi-se agravando e as necessidades de investimento em infraestruturas foram colocadas de lado em favor do aumento de passes para os utentes, diminuição de carruagens, ataques aos trabalhadores e trabalhadoras e da destruição de um serviço para consequente privatização do mesmo. 

A inexistência de elementos de caracterização da população com deficiência é um fator que influencia negativamente a capacidade de elaboração de propostas de políticas públicas apropriadas a esta população. A adequação destas políticas só será efetiva havendo um conhecimento mais aprofundado de dados que não são disponibilizados de forma sistematizada pela administração pública.

Chegou ao conhecimento do Bloco de Esquerda a informação de que há pessoas que se estão a deparar com dificuldades quando pretendem alterar o seu crédito à habitação de modo a poderem beneficiar das condições preconizadas na presente lei, nomeadamente quando querem aceder ao prolongamento do prazo do empréstimo para o prazo de 50 anos previsto no artigo 7.º 1 c) da referida legislação. Estas dificuldades prendem-se com o facto de as instituições bancárias referirem que necessitam de orientações do Ministério das Finanças para procederem a esta implementação. O Bloco de Esquerda considera necessário que esta questão seja esclarecida.

Com a reestruturação do Centro Hospitalar Médio Tejo, a Urgência Médico-Cirúrgica foi concentrada na Unidade Hospitalar de Abrantes. Desde então, a afluência de doentes, que antes se deslocavam às Unidades de Tomar e Torres Novas, provoca frequentes ruturas do serviço em Abrantes. Pesem embora as sucessivas alterações para ganhar espaço e otimizar recursos, os problemas têm sido constantes, como se comprova pelas notícias na comunicação social e pelas denúncias efetuadas pela Comissão de Utentes de Saúde Médio Tejo. Com base em testemunhos de cidadãos e de profissionais que ali trabalham, confirmamos a persistência dos problemas e a sua agudização nos últimos dias, em que se tem registado um aumento da afluência.

O Bloco de Esquerda esteve recentemente na Escola Básica 2,3 António Alves Amorim, Freguesia de Lourosa, concelho de Santa Maria da Feira e sede do Agrupamento de Escolas com o mesmo nome, onde constatou vários problemas estruturais existentes e que necessitam de intervenção urgente por parte da tutela. Os telhados dos vários blocos que constituem a escola ainda são de fibrocimento com amianto o que, como se sabe, representa um enorme risco para a saúde dos alunos, docentes e outros profissionais que ali trabalham. Esse risco é agravado pelo facto de estes telhados se encontrarem partidos e muito deteriorados, fruto do edifício ter cerca de 40 anos e nunca ter sido alvo de nenhuma intervenção de fundo.

Mozelos é uma Freguesia do concelho de Santa Maria da Feira, com cerca de 8000 habitantes. Até ao segundo semestre de 2014, a sua Unidade de Saúde contava com 3 médicos. No entanto, nessa altura, aposentaram-se dois desses médicos, deixando o centro de saúde com apenas um médico para todos os utentes ali inscritos.