Share |

“Não há professores de segunda”

Na apresentação do projeto de lei do Bloco de Esquerda sobre a “Contabilização de Dias de Serviço para Efeitos de Proteção Social dos Docentes em Horários Incompletos”, a deputada Joana R. Mortágua explicou que “estes professores vivem os seus horários equiparados a tempo parcial, e foi deixado de lhes contar 30 dias para acesso às prestações sociais, mesmo que eles passem o ano inteiro na escola”, o que faz com que “um professor na sua carreira que só consiga horários de 11h letivas, atinge os 40 anos de descontos quando tiver 80 anos”.

“O projeto de lei que o Bloco aqui apresenta só procura o reconhecimento de uma realidade que decorre do estatuto da carreira docente, que é dar a estes professores o direito a uma carreira contributiva. Enquanto se negam direitos básicos a estes professores, há falta de professores por todo o país”, acrescentou.

A deputada alertou ainda que para resolver o problema da falta de professores que Portugal tem “é preciso o reconhecimento do respeito dos direitos e da justiça que é devida a todos os professores”.