Share |

13 anos de vitória do SIM no referendo sobre a despenalização da Interrupção Voluntária da Gravidez

O Bloco de Esquerda usou hoje a sua declaração política para assinalar os 13º aniversário da vitória do SIM no segundo referendo sobre a despenalização. A deputada Sandra Cunha recordou todo o trajeto de sofrimento, violência, humilhação, mas também de luta e solidariedade, nesta que foi uma batalha decisiva rumo à modernidade, ao desenvolvimento, ao respeito pela livre escolha, ao direito à autodeterminação.

A bloquista explicou que "até 2008, o aborto clandestino era a terceira maior causa de morte das mulheres em Portugal e que desde 2012, não houve mais nenhuma mulher a morrer vítima de um aborto clandestino”, acrescentando que "o que temos hoje é uma diminuição constante e significativa do número de abortos”.

No entanto, o trabalho não está todo feito, porque “para além da conquista dos direitos importa garantir as condições para a sua efetivação e por isso importa garantir que o SNS tenha todas as condições necessárias para realizar as IVGs solicitadas e fazer o acompanhamento devido”, acrescentou.

“No baú do obscurantismo do nosso passado ficam os preconceitos, o autoritarismo, a sobranceria com que se apontava o dedo, com que se perseguiam e humilhavam as mulheres”.