Share |

Estivadores: “O Governo tem de intervir”

"Depois de 18 meses de salários pagos sistematicamente com atraso, incumprimento dos acordos estabelecidos, a mesma empresa que aumentou os preços aos seus clientes porque tinha de pagar mais aos estivadores não só não pagou os aumentos como nem sequer lhes paga os salários a tempo e ameaça agora com uma insolvência para abrir uma empresa ao lado com os mesmos trabalhadores mas precários”, explicou Catarina Martins, afirmando que “a escalada de conflito pode ser um álibi para as empresas, mas é má para o país e cabe ao Governo interrompê-la, sentar à mesa as partes e chegar a um acordo que garanta o emprego e rejeite firmemente esta fraude descarada”.

Sobre a atuação do governador do Banco de Portugal perante os recentes crimes económicos, Catarina Martins relembrou que “o Bloco defendeu vezes sem conta que havia mais que matéria suficiente para destituir o governador”, considerando “inaceitável que o governo não tenha feito o que deveria ter sido feito” e que “tenha permitido a continuidade do governador do Banco de Portugal”.