Share |

Fabíola Cardoso defende a abolição do plástico de uso único

No debate preparatório do Conselho Europeu, a deputada Fabíola Cardoso relembrou que "no dia em que é anunciado que descemos de classificação no Índice de Desempenho das Alterações Climáticas, no mês em que a Agência Europeia do Ambiente anuncia que não cumpriremos as metas para 2020", as medidas implementadas até agora não foram suficientes.

A deputada desafiou o primeiro-ministro a defender, no Conselho Europeu, "metas vinculativas e políticas concretas para travar o contínuo aumento de emissões e garantir a neutralidade carbónica na Europa", como:

-o cancelamento dos benefícios fiscais sobre o carvão e outros combustíveis fósseis, tanto na produção de energia, como na aviação;

- a colocação de painéis solares em edifícios públicos e habitações, numa lógica de produção solar descentralizada e partilhada;

- transportes públicos eficazes e acessíveis, com a expansão do metro, aumento da oferta de autocarros, ambos ligados à ferrovia.

Fabíola Cardoso sublinhou também a necessidade de "alterações corajosas e profundas das políticas europeias, na agricultura, na floresta, na saúde, no trabalho e na educação", apresentando algumas das propostas do Bloco neste sentido:

- abolição do uso de plástico de uso único e das duplas embalagens;

- fim dos apoios às explorações agroflorestais e pecuárias intensivas e super intensivas;

- proteção dos trabalhadores afetados diretamente pela transição.