Share |

Voto De Pesar Pela Morte De Paulo Guajajara

Paulo Paulino Guajajara, membro da tribo Guajajara e conhecido como um dos “Guardiões da Floresta”, um grupo de indígenas dedicado a proteger a floresta da Amazónia da destruição ambiental, foi assassinado no passado dia 1 de novembro por madeireiros armados que invadiram as terras indígenas Arariboia, no estado brasileiro do Maranhão. Consigo estava também Laércio Guajajara, outro líder da mesma tribo, que embora tenha sido alvejado com dois tiros, um no braço e outro nas costas, conseguiu fugir da emboscada.

Um relatório recente do Conselho Missionário Indígena do Brasil mostra que entre janeiro e setembro de 2019 foram contabilizados 160 casos de invasão a 153 terras indígenas de 19 estados federais brasileiros, o dobro dos números registados em 2018. Segundo Francisco Gonçalves, Secretário de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular do Maranhão, este aumento dramático da violência contra comunidades nativas e invasões de territórios indígenas que, neste caso, resultou na morte de Paulo Guajajara, é fruto da postura adotada pelo recente governo brasileiro: “Os conflitos são de décadas, mas [agravaram-se] este ano com o desmonte dos órgãos federais e o abandono das políticas de proteção aos povos indígenas. O discurso beligerante e de ódio que o governo Bolsonaro passa para os grupos criminosos funciona como um salvo-conduto para entrar em terras indígenas”.

Diante destas circunstâncias, e tendo em conta a importância da defesa dos direitos indígenas para poder garantir, ao mesmo tempo, a defesa dos direitos ambientais respeitantes à região amazónica, não pode esta Assembleia da República eximir-se de prestar o seu pesar para com o assassinato de Paulo Paulino Guajajara e de outros indígenas.

A Assembleia da República, reunida em plenário, manifesta o seu pesar pelo assassinato de Paulo Paulino Guajajara e transmite as suas condolências ao povo brasileiro e aos seus familiares.
 

AnexoTamanho
votopesar_pauloguajajara_final.pdf175.21 KB