Share |

Degradação dos equipamentos escolares da EB 2,3 Dr. António Augusto Louro

A EB 2,3 Dr. António Augusto Louro, pertencente ao Agrupamento de Escolas Dr. António Augusto Louro, no concelho do Seixal, encontra-se num estado amplamente degradado e sem as condições mínimas para ensinar e aprender com dignidade.

Com mais de 20 anos de existência, a EB 2,3 Dr. António Augusto Louro não conheceu qualquer intervenção estrutural desde a sua inauguração, apresentando problemas agravados a diversos níveis, dos quais se destacam:

• Telheiros das passagens e dos pavilhões em fibrocimento em elevado estado de degradação;

• Presença de um telheiro em fibrocimento em avançado estado de deterioração localizado no meio do pátio que as crianças utilizam para brincar e lanchar

• Instalações sanitárias muito degradadas;

• Cozinha extremamente degradada;

• Salas de aula a necessitar de pintura e requalificação

• Piso irregular e esburacado, que impede o seu usufruto por parte dos alunos e já provocou vários acidentes, um dos últimos envolvendo uma criança em cadeira de rodas

• Inexistência de um espaço exterior adequado para a prática de Educação Física;

• Inexistência de cobertura de proteção, expondo os alunos ao frio e à chuva.

Esta situação arrasta-se há vários anos e impede o normal funcionamento das atividades letivas, desmotivando, por um lado, os docentes e funcionários e, por outro, os alunos e alunas que frequentam aqueles estabelecimentos de ensino.

Não estão, claramente, reunidas as condições mínimas de conforto, segurança e qualidade que permitam aos alunos aprender corretamente, aos docentes ensinar com dedicação e aos funcionários trabalhar com zelo. É urgente resolver esta situação.

Atendendo ao exposto, e ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda vem por este meio dirigir ao Governo, através do Ministro da Educação, as seguintes perguntas:

1. Tem o governo conhecimento da situação descrita?

2. Que medidas planeia o Governo tomar para fazer face a estas necessidades urgentes neste estabelecimento de ensino?

3. Quando terão lugar as respetivas intervenções?
 

AnexoTamanho
perg_me_-_pergunta_eb_23_dr._antonio_augusto_louro.pdf156.88 KB